Para quem pensa que a meditação apenas ajuda a relaxar vai aqui uma dica: ela é uma prática efetiva de relaxamento sim, mas esse é só um dos muitos benefícios que essa prática milenar oferece.
A meditação esteve ligada a diversas religiões e tem sido praticada desde a antiguidade mas cada vez mais ela tem sido praticada também fora do ambiente religioso.
Estudos sugerem que períodos curtos de meditação podem levar a uma alteração funcional e estrutural do cérebro com efeitos positivos como a melhora da memória, da capacidade de proteger a deterioração da memória em períodos de alto estresse e das doenças neuro degenerativas, como a doença de Alzheimer.

A comparação entre as imagens do cérebro antes e após o período de prática meditativa demonstra aumento na densidade da massa cinzenta no hipocampo, importante no aprendizado, na memória, nas estruturas associadas com o auto-conhecimento, a compaixão e a introspecção. Os participantes dos estudos científicos relataram que se sentirem menos estressados e ansiosos.
O estudo que se tornou referencia nessa área e que inspirou muitos outros foi chefiado por Sara Lazar, do Programa de Pesquisa em Neuroimagem Psiquiátrica do MGH instrutora da Escola de Medicina de Harvard.
Após a conclusão Sara Lazar disse:

“Embora a prática da meditação esteja associada a uma sensação de tranquilidade e relaxamento físico, os profissionais têm afirmado que a meditação também oferece benefícios cognitivos e psicológicos que persistem ao longo do dia. Este estudo demonstra que as mudanças na estrutura do cérebro podem estar subjacentes a algumas dessas melhorias relatadas e que as pessoas não estão apenas se sentindo melhor porque estão passando um tempo relaxando”.